GI 1. Turismo, Identidades e Património Cultural

Para que o turismo contribua para o desenvolvimento local de uma forma eficaz, sustentável e responsável, a conservação do património material e imaterial dos territórios rurais, periféricos e desfavorecidos (inclusive áreas protegidas) terá de ser assegurada. A investigação interdisciplinar efetuada pelo GI1 (incidindo sobre o turismo em geral e o turismo cultural, em particular) procura fomentar, simultaneamente, a responsabilidade dos stakeholders e a competitividade comercial das organizações em territórios onde o património constitui um ativo essencial para o desenvolvimento local sustentável. O turismo é, portanto, visto pelo GI1 como parte integrante de um processo de desenvolvimento multifacetado em que todos os elementos interagem e em que a oferta de produtos e serviços associados ao turismo cultural se baseia equilibradamente nos pilares económico, ambiental e social da sustentabilidade.

GI 2. Inovação, Mercados e Organizações

Os investigadores do GI2 procuram identificar as condições em que as organizações de todos os tipos - privadas, públicas e sem fins lucrativos - possam desenvolver estratégias mais inovadoras e sustentáveis e com uma performance mais bem-sucedida face às difíceis circunstâncias contemporâneas caracterizadas por ambientes económico, sociopolítico, concorrencial e regulamentar em constante mutação. O Grupo dá particular prioridade às organizações de pequena e micro-escala e/ou localizadas em territórios rurais. Tipicamente, os projetos realizados pelo grupo avaliam, ao nível das organizações, o impacto da adoção de práticas de gestão e processos de aprendizagem mais inovadores, criativos, empreendedores e adaptativos, promovendo assim melhorias da sua performance e da sua contribuição para o desenvolvimento local.

GI 3. Sociedade, Território, Recursos e Políticas

No contexto atual, o uso sustentável dos recursos endógenos poderia melhorar significativamente a competitividade local, mitigando algumas das piores consequências que a crise, a austeridade e a retoma desigual da atividade económica possam ter para as comunidades rurais. A partir desta perspetiva, o GI3 analisa a procura de bens e serviços basea­dos em recursos locais por parte da população local, do tecido empresarial, da sociedade civil e da comunidade em geral; também identifica as políticas públicas e as estratégias organizacionais capazes de incentivar a oferta dos referidos bens e serviços em prol do desenvolvimento local; e avalia ainda as condições institucionais e políticas essenciais para um desenvolvimento local mais endógeno e autónomo.